📚 Livros
1.53K subscribers
11 photos
1 file
256 links
Bem-vindi! 😊 , - Aqui publicamos sugestões esporádicas de títulos e curiosidades do mundo dos livros. São pouquíssimas mensagens por mês.
Se te interessar, veja também o canal de livros em espanhol: https://t.me/eslibros
Contato: @igalapagos
Download Telegram
to view and join the conversation
A negação da morte
Livro ganhador do Prêmio Pulitzer de Não Ficção Geral de 1974. De todas as inquietações que movem o ser humano, a mais forte e determinante é o medo da morte. O temor, que o acompanha desde que assomam em sua mente as primeiras noções do mundo, é a mola mestra de quase todas suas atividades, assim como a principal fonte de angústia. Ernest Becker baseia- se, entre outros, em Freud, Jung e Rank para abordar o problema da mente vital - a tendência humana de reprimir o reconhecimento da mortalidade. A negação revela-se a fonte inequívoca de grande parte do comportamento ocidental moderno, assim como de seus problemas.Ganhador do prêmio Pulitzer de 1974, A negação da morte é o resumo das principais correntes da psicanálise pós-freudiana. Ernest Becker, renomado Ph.D em antropologia, conseguiu unir a perspectiva psicológica a uma visão mítico-religiosa, em uma obra que mantém o vigor mais de 30 anos após a publicação. Becker faleceu dois meses antes da entrega do Pulitzer. O enorme legado do autor começou a ser reconhecido apenas após a premiação. Hoje, a sua obra é estudada, pesquisada e ensinada em todo o mundo.
Como Perder Amigos e Irritar Pessoas
"Como fazer desistir uma visita que queira dormir na sua casa. Como afugentar aquele companheiro de viagem indesejado, que não pára de falar no ônibus. Livre-se logo dos chatos e alcance sua liberdade!
Estes vigorosos conselhos de Irving Tressler, de eficácia garantida, já levaram diversas pessoas a ter uma vida mais tranqüila e mais solitária. Não são meros chutes ou teorias pedantes: funcionam de verdade. São regras que visam o homem comum, o tipo de gente que lambe o lacre do iogurte."
O direito à preguiça
Esta obra é um manifesto de celebração ao ócio. Publicado em 1855, O direito à preguiça – esse texto irreverente e polêmico – enaltece as virtudes do pecado capital e denuncia a degradação física e intelectual causada pelo trabalho.
Bom Dia, Preguiça A arte e a necessidade de fazer o menos possível
"A empresa não nos emprega tanto quanto nos usa e explora. Chegou a altura de a usarmos e explorarmos - é por isso que esta obra revela estratégias concertadas para minar o sistema por dentro, sem que se note."
"Na empresa, mesmo quando nada há a esperar, há sempre qualquer coisa a temer..."
O Valor da Beleza
Daniel Hamermesh, um especialista em salários da Universidade do Texas, calcula que, na média, ao longo de uma vida inteira de trabalho, um profissional de ótima aparência receba, nos Estados Unidos, cerca de US$ 230 mil (algo como R$ 1 milhão e 270 mil) a mais que alguém de má aparência. “É um pouco menos do que a vantagem conferida por uma boa educação universitária”
Aumento no salário mínimo não leva a menos contratações, revela ganhador do Prêmio Nobel de Economia
Neste livro, David Card e Alan B. Krueger apresentam um novo e poderoso desafio à visão convencional de que salários mínimos mais altos reduzem empregos para trabalhadores com salários baixos. Em uma obra que tem implicações importantes para as políticas públicas, bem como para a direção da pesquisa econômica, os autores colocam à prova a teoria econômica padrão, utilizando dados de uma série de episódios recentes, incluindo o aumento do salário mínimo de 1992 em Nova Jersey, o aumento do salário mínimo da Califórnia de 1988 e os aumentos do salário mínimo federal de 1990-91. Em cada caso, eles apresentam uma bateria de evidências mostrando que os aumentos no salário mínimo levam a aumentos no salário, mas sem perda de empregos.
David Card, Professor de Economia da Universidade da Califórnia e Diretor do Programa de Estudos do Trabalho do Escritório Nacional de Pesquisa Econômica, recebeu metade do prêmio por sua pesquisa sobre como o salário mínimo, a imigração e a educação afetam o mercado de trabalho.