Patos à Esquerda
14 subscribers
10 photos
70 links
Canal destinado à divulgação dos conteúdos veiculados pelo site www.patosaesquerda.com.br

instagram: @patosaesquerda
twitter: @PatosaEsquerda
Download Telegram
to view and join the conversation
Qualquer projeto político de esquerda que busque a efetividade precisa conquistar a maioria. Porém, antes, necessita refletir sobre as seguintes perguntas: quais meios nós devemos utilizar? Quais fins nós almejamos? Não estariam os meios já contidos nos fins? É sobre esse conjunto de questões que Diego Silva se propõe a refletir no seu texto de hoje.
https://patosaesquerda.com.br/queremos-ser-maioria-mas/
Sobre a sanha de privatizar os Correios (parte 1/2)
Em nenhuma república dita democrática o Estado abriria mão de uma empresa com a estrutura que tem os Correios. Ao menos, não com tanta vontade de “entregar” aos interesse privados.
https://patosaesquerda.com.br/correios-parte-1-2/
Sobre a sanha de privatizar os Correios (parte 2/2)
O neoliberalismo de “Estado máximo” para banqueiros, megaempresários e amigos do “corrupto–cagão–genocida” está cada vez mais intenso e despudorado. É preciso levantar a pauta da oposição às privatizações nas grandes manifestações que querem a destituição de Jair. Não basta tirar do poder esse embusteiro. Leia no site a segunda parte da análise sobre as tentativas de privatizar os Correios.
https://patosaesquerda.com.br/correios-parte-2-2/
Rosa Luxemburgo passou para a história sob muitas facetas: intelectual brilhante, crítica refinada do capitalismo, entusiasta da auto-organização das massas trabalhadoras e defensora do socialismo democrático. Nesta resenha de suas "Cartas da Prisão", Simone Weil destaca a faceta estoica. Ao fazer isso, ilumina as dimensões psicológicas que fecundaram a conduta ético-política de Rosa. Confira no site a resenha completa - um testemunho histórico sobre a vida dessa grande mulher que continua a nos inspirar na luta por um mundo igualitário, livre e diverso.
https://patosaesquerda.com.br/as-cartas-da-prisao-de-rosa-luxemburgo/
Em memória do 19 de julho de 1936, data que marca o início da guerra e revolução espanhola, Thiago Lemos Silva reflete sobre as várias comemorações que ocorreram em nosso país, no ano de 2016, em virtude do octogésimo aniversário desse importante acontecimento histórico. Nesse sentido, ele traz elementos significativos para pensarmos os motivos que mantiveram unidos anarquistas de um lado e de outro do Atlântico. https://patosaesquerda.com.br/os-80-anos-da-guerra-e-revolucao-na-espanha-um-olhar-sobre-as-comemoracoes-no-brasil-2016/
Campanha "solidária" de empresa em Patos de Minas lança dúvidas e serve para refletirmos sobre a distinção entre solidariedade e marketing social. https://patosaesquerda.com.br/solidariedade-ou-jogada-de-marketing-saiba-diferenciar/
A indicação de hoje vem acompanhada de alguns dados do 15º Anuário Brasileiro de Segurança Pública. Trata-se de uma obra que serve para aprofundar a compreensão a respeito de como a questão racial se relaciona com a letalidade policial e com a violência no país. Confira a análise no site.
https://patosaesquerda.com.br/m-8/
Você conhece Aquela Mulher do Canto Esquerdo do Quadro? A resenha de Laura Cordero sobre o livro de Fernanda Grigolin ganhou tradução para o português. Ela nos convida a conhecer a história do anarquismo latino-americano através da narrativa encarnada de uma operária anônima que viveu na São Paulo das primeiras décadas do século XX. Leia o texto na íntegra em nosso site.
https://patosaesquerda.com.br/sou-aquela-mulher-do-canto-esquerdo-do-quadro/
A poesia é uma forma potente de manifestação da nossa indignação diante do mundo e uma ferramenta para nutrir as nossas almas. Na matéria de hoje, Luana Rodrigues nos apresenta a poeta Pat Parker e faz um paralelo entre o fascismo do passado e o fascismo normalizado em nosso cotidiano.
https://patosaesquerda.com.br/nao-deixe-os-fascistas-falarem/
No texto de hoje, Marcelo Custódio aborda um aspecto da escalada autoritária em nosso país. Tomando como ponto de partida as prisões dos lutadores sociais Rodrigo Pilha e Paulo Galo, o autor discute os limites do "Estado Democrático de Direito" na ordem burguesa. Esses limites são expressos pelas investidas arbitrárias que ocorrem quando o poder dos de cima é colocado em questão.
https://patosaesquerda.com.br/galo/
Movimento de Organização de Base (MOB) de Patos de Minas e Coletivo Mada apresentam iniciativa para a construção da educação popular.
Leia o texto de apresentação no site: https://patosaesquerda.com.br/afirmativa/
Nos últimos anos, as consequências do modelo predatório de mineração tem colocado na ordem do dia os limites do extrativismo capitalista. Em seu texto, Laura Borges chama a nossa atenção para a urgência de um outro modelo de extração, capaz de (re)harmonizar as demandas do ser humano e da natureza. https://patosaesquerda.com.br/a-mineracao-deu-ao-homem-o-poder-de-remover-montanhas/
Nesse 7 de setembro, dois Brasis se (des)encontraram em Patos de Minas. Interrogar as diferenças entre o que significa um e o que significa o outro é uma tarefa política urgente para a esquerda. Essa é a reflexão que Diego Silva se propôs a realizar em seu texto de hoje. https://patosaesquerda.com.br/um-7-de-setembro-dois-brasis/
Já notou que, no frenesi do "Brasil que não para", o luto tem sido interditado mais do que o comum? Quais serão os efeitos desta sociabilidade que impõe autocontrole e indiferença enquanto anula o direito de chorar os mortos? Essas são algumas das perguntas da análise de Munís Pedro na publicação de hoje. Veja no site: https://patosaesquerda.com.br/luto-aceleracao/
Fumaça que encobriu Patos de Minas na sexta-feira (10/09) é resultado das mudanças climáticas aceleradas pelo projeto sociopolítico de degradação do Cerrado. Texto de Geison Neves. https://patosaesquerda.com.br/focos-de-incendio-na-regiao-apontam-para-degradacao-historica-do-cerrado/