Jornal O Pharol | Juiz de Fora
19 subscribers
31 photos
2 videos
32 links
Informação à luz dos fatos
Download Telegram
O projeto de lei que previa a redução da cobrança da tarifa de esgoto para até 50% do valor da tarifa de água não tramita mais na Câmara de Juiz de Fora. A proposta saiu de cena pelas mãos do vereador Bejani Júnior (Pode), que é um dos seus autores, ao lado de Julinho Rossignoli (Patriota), João Wagner (PSC) e Tiago Bonecão (Cidadania).
Leia mais: https://bit.ly/pharol_retirou
A Câmara de Juiz de Fora terá uma vitória na queda de braço com a Prefeitura envolvendo o programa municipal de enfrentamento à Covid-19, “Juiz de Fora pela Vida”. A faixa laranja para a qual o município regrediu na última segunda-feira será flexibilizada.
Desde o anúncio da mudança de faixa, o clima na Câmara ficou pouco amistoso. As mudanças que devem ser anunciadas pela Prefeitura ainda hoje vão envolver principalmente os horários de funcionamento.
Leia mais: https://bit.ly/pharol_laranja
Com a preocupação de manter o ex-presidente Lula à esquerda e o presidente Jair Bolsonaro à direita, vendedor ambulante aposta na venda de bandeiras antes do 7 de setembro. Em Juiz de Fora, dois eventos estão agendados. Ambos para o mesmo horário, às 10h. Os locais, aí sim, são diferentes e distantes.

Na praça do Bairro São Mateus, as manifestações pró-Bolsonaro contaram com a deputada estadual Delegada Sheila (PSL) e o deputado federal Charlles Evangelista (PSL). O vereador Sargento Mello (PTB) participa dos atos previstos para Brasília.

Na praça de Santa Luzia, acontece o Grito dos Excluídos, organizado por diversas entidades representativas, movimentos sociais, coletivos e partidos políticos de Juiz de Fora. Por lá estarão o deputado estadual Betão (PT), as vereadoras Laiz Perrut (PT), Cida Oliveira (PT), Tallia Sobral (Psol) e o vereador Juraci Scheffer (PT).

(Foto: Felipe Couri)
O ato de Juiz de Fora, como os demais espalhados pelo país, foi marcado por pautas com apelo autoritário e golpista. Os manifestantes ostentavam cartazes e faixas com dizeres como “Intervenção com Bolsonaro no poder”, “Fora comunistas”, “Voto impresso auditável”, “Destituição dos 11 ministros do STF já”, “STF, ditadura de toga”, “Criminalização de todos os comunistas”.
Além dos ataques a membros do Judiciário, também entraram na pauta dos discursos no caminhão e no chão mensagens contra o ex-presidente Lula (PT). Os jornalistas eram questionados sobre o que sairia nas matérias. Muitos cartazes estavam em inglês.
Leia mais: https://bit.ly/pharol_7sbolso
(Fotos: Felipe Couri)
No Grito dos Excluídos, a data de 7 de Setembro acabou sendo usada como trocadilho de R$ 7, valor já cobrado pelo litro de gasolina em alguns postos. O alto custo dos alimentos também foi foco dos protestos, com denúncias sobre a volta da mazela da fome e o aumento da desigualdade.
Vários pronunciamentos alertavam para o fato de o presidente já ter rompido todos os limites constitucionais. Os ataques de Bolsonaro aos poderes Legislativo e Judiciário foram condenados.
Leia mais: https://bit.ly/pharol_7sgrit
Flopar, flopou. Mas Bolsonaro ganhou fôlego para romper a ordem democrática.

A aposta e o custo foram altos, como foram altas as projeções de públicos. O número de manifestantes acabou não sendo o esperado, mas talvez suficiente para sua escalada antidemocrática.

O presidente convenceu os adeptos do bolsonarismo que a principal crise do país é de ameaça à liberdade. No caso, à sua liberdade de fazer o que bem entender, inclusive golpear as instituições e a democracia.

👉 Ilustração de Jorge Arbach.

Leia a matéria na íntegra: https://bit.ly/pharol_flop
A nota conjunta assinada pelos presidentes de PSL e DEM condenando os ataques golpistas do presidente Jair Bolsonaro (sem partido) ao Supremo Tribunal Federal (STF) no 7 de Setembro foi mais um passo no processo de fusão dos dois partidos. Os dirigentes partidários esperam concluir as conversas até o dia 21 de setembro.
Em Juiz de Fora, serão cinco parlamentares: os vereadores Antônio Aguiar, Maurício Delgado, Luiz Otávio Coelho (Pardal), além da deputada estadual Sheila Oliveira e do deputado federal Charlles Evangelista.
Leia mais: https://bit.ly/pharol_fusao
O empreendimento imobiliário "Balneário Reservas do Lago", localizado às margens da Represa de Chapéu D'Uvas, que tem como um de seus sócios o ex-prefeito de Juiz de Fora Bruno Siqueira, foi autuado pela Polícia Militar de Meio Ambiente. O motivo foi o desmatamento de formação florestal nativa, intervenção em área de preservação permanente com uso de maquinário e supressão de vegetação nativa ciliar.
As atividades com movimentação de terra foram suspensas nas áreas autuadas pelo órgão ambiental e todo material lenhoso encontrado no local foi apreendido.
A Secretaria de Estado de Meio Ambiente e Desenvolvimento Sustentável (Semad) elencou como possíveis impactos do empreendimento para o manancial a contaminação da água por lançamento de efluentes sem tratamento e o assoreamento do lago em razão de obras de terraplanagem e carreamento de solo.
Leia na íntegra, na reportagem de Ricardo Miranda: https://bit.ly/pharol_chapeuduvas
A represa de Chapéu D’Uvas vem apresentando um processo de ocupação desordenada. Ambientalistas denunciam e alertam para o riscos do chamado “capitalismo selvagem”, que entre suas diversas definições, vêm causando exploração ambiental visando a lucratividade, sem que haja uma preocupação quanto à preservação e sustentabilidade.

A falta de fiscalização para impedir a ocupação desordenada é apontada como um dos fatores para este efeito nas margens do manancial, que prejudicam todo o ecossistema e, especialmente, os 146 milhões de metros cúbicos com potencial para abastecer Juiz de Fora pelos próximos 50 anos.

Nesta reportagem, os jornalistas Leticya Bernadete e Davi Carlos Acacio ouviram ambientalistas que falaram, entre outras questões, sobre os riscos no abastecimento de água para a população de Juiz de Fora.

Leia na íntegra: https://bit.ly/pharol_ambientalistas
A pressão por mudanças nas denominações de logradouros e obras, bem como por mais monumentos que homenageiam personagens representativos da diversidade brasileira, é antiga e se intensificou após o incêndio na estátua do bandeirante Borba Gato.
O ato reacendeu o debate sobre a pertinência de monumentos que homenageiam pessoas ligadas à escravidão, à colônia, à ditadura e a outros períodos sensíveis no passado do Brasil.
É importante observar não apenas o que a cidade fala, não apenas monumentos e estátuas, mas o que ela silencia também. Porque não é apenas a homenagem em si que importa, mas também o que não é homenageado", diz o professor da UFJF e historiador Fernando Perlatto.
Leia na íntegra a reportagem de Bianca Colvara: https://bit.ly/pharol_monumentos
Na edição do programa Spot, a pauta é incentivo à cultura. Breno Motta entrevista a diretora-geral da Funalfa, Giane Elisa Sales de Almeida e a gerente interina do Departamento de Recursos Compartilhados da Funalfa, Fernanda Amaral. Elas falam sobre os cinco editais da Funalfa, que totalizam R$ 2.040 milhões para fomentar a cultura em todos os cantos de Juiz de Fora.

De forma inédita, neste ano, os recursos foram segmentados em mais de um edital como forma de facilitar a participação de grupos sociais historicamente com dificuldade de acesso a esse modelo patrocínio cultural. ✊🏿🏳️‍⚧️🏳️‍🌈

https://bit.ly/pharol_incentcultura
Juiz de Fora inicia nesta semana o processo de retorno às aulas presenciais. Aproveitamos este momento, contudo, para lembrar que não se trata de um recomeço, mas de uma sequência, que não apaga esforços empenhados, a duras penas, desde março do ano passado.
Se o próprio Ministério da Educação parece querer e dizer, ao longo de toda a pandemia, que a educação pública “dance” (num sentido pejorativo que substitui outro verbo de sonoridade similar), tentar fazer da queda um passo de dança foi uma tarefa muito empreendida individualmente e/ou de forma microcoletiva, dependendo da força de vontade de cada docente, de cada escola.
E foi preciso reinventar a escola. Nesta última reportagem da série sobre o trabalho docente na pandemia, a repórter Táscia Souza reuniu algumas histórias de reinvenção. Confira na íntegra: https://bit.ly/pharol_educadancou
👩🏿‍🏫 O mais famoso artigo de toda a legislação municipal será revogado. O artigo 9º da lei nº 13.012/14 está com os dias contatos.

• O que vai acontecer? Neste ano, nada.
• Mas e em 2022?
• E as perdas passadas? Como ficam?

✏️Detalhamos algumas dúvidas nesta matéria: https://bit.ly/pharol_artigo9
Ouvir histórias para compreender as lições da ancestralidade popular brasileira. E filmar o que normalmente não se vê.

“Resto de mundo”, do cineasta de Juiz de Fora, Diego Zanotti, estreou no catálogo do Globoplay, com a história de sete mulheres empreendedoras de artes e ofícios, contada em sete episódios de 30 minutos cada.

Leia mais: https://bit.ly/pharol_restodomundo
This media is not supported in your browser
VIEW IN TELEGRAM
Quer saber o que é destaque em Juiz de Fora e região? Com notícias produzidas pela equipe de O Pharol e a partir de uma curadoria realizada em veículos regionais e nacionais, reunimos na newsletter Uma luz sobre Juiz de Fora informações essenciais para a sua semana.

Da política local à voz das ruas, da ciência aos lançamentos musicais. Tudo para que você saiba o que acontece de mais importante por aqui.

A assinatura é gratuita.
👉https://jornalopharol.com.br/informativo
A indicação do senador Antonio Anastasia (PSD) para o Tribunal de Contas da União (TCU), na disputa mais acirrada dos últimos anos no Senado Federal, vem provocando uma onda de reflexos nas articulações políticas nacional, estadual e mesmo municipal.
Em Brasília, os 52 votos que deram a vitória a Anastasia revelaram a fragilidade do presidente Jair Bolsonaro (PL) na Casa.
Leia mais: https://bit.ly/pharol_tcu
Na noite de ontem (14), já passava das 22h, quando os vereadores aprovaram a proposta de revisão do IPTU encaminhada pela Prefeitura com desconto de 10,74% para pagamento à vista para todos os contribuintes sem débitos relacionados à inscrição imobiliária do imóvel. Com ou sem cadastro digital, entre os dias 15 de janeiro e 3 de fevereiro.
Entenda as movimentações até a atual definição: https://bit.ly/pharol_iptu3
Para não perder mais um empreendimento imobiliário e a unidade de uma nova rede supermercadista, o Executivo não poupou esforços e mudanças no Conselho Municipal de Preservação do Patrimônio Cultural (Comppac). Entre março e dezembro de 2021, o colegiado sofreu quatro alterações. E a nova formação recusou o tombamento do Estádio Salles Oliveira, do Tupi, e da sede do Tupynambás. Os dois espaços estão agora liberados para serem demolidos e darem lugar a empreendimentos imobiliários e estabelecimentos comerciais.
Leia mais: https://bit.ly/pharol_comppac
Protesto com balões subindo é apelo para as autoridades voltarem suas atenções para a grave crise das Santas Casas e hospitais filantrópicos de todo o país.

A Santa Casa de Juiz de Fora fechou o ano de 2021 com déficit de R$ 47 milhões. O hospital que, segundo o presidente Jair Bolsonaro (PL), salvou sua vida após a facada em 2018, aguarda o socorro anunciado pelo governo federal em maio do ano passado.

Leia mais: https://bit.ly/pharol_stacasa
A multinacional de embalagens para bebidas Ardagh anunciou na quarta-feira (25) a construção de duas fábricas em Juiz de Fora. Os empreendimentos serão conduzidos pelas subsidiárias Ardagh Metal Packaging e da Ardagh Glass Packaging produzindo, respectivamente, latas e garrafas.

O investimento total poderá superar US$500 milhões (cerca de R$ 2,5 bilhões), com a geração de 600 postos de trabalhos de forma direta, ou seja, de profissionais que trabalharão para o grupo Ardagh.

Mas o que trouxe a empresa até aqui?

https://bit.ly/pharol_ardagh